Estrutura do texto jornalístico

Conteúdo

 

TEORIA

Coisas que você deve levar pra vida:
– O texto jornalístico conta uma história
– Pra quem vc escreve?
– Que espaço você tem ou quer usar?
– Vai ter só texto ou mais recursos?
– Já tem linguagem e abordagem definidas? Descubra e construa a sua (copie, treine) e conheça o veículo para escrever com a abordagem e linguagem certas

QUAL HISTÓRIA VOCÊ VAI CONTAR?

– Quais dados tem?
– Que pesquisas foram feitas?
– Responda as seis perguntas do jornalismo (o que, quem, onde, quando, como, por quê)

Organize a informação que tem e responda a pergunta da forma mais clara possível (pra si mesmo ou para alguém).

COMO COMEÇAR O TEXTO?

Tipos de abertura de texto, sempre tendo como norte “a história que estou contando”.

– lead > http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2015/04/22/reconstrucao-pode-levar-um-ano-diz-prefeito-de-cidade-atingida-por-tornado.htm

– imagem, história que resume > http://educarparacrescer.abril.com.br/politica-publica/pedibus-542635.shtml

– frase > http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-103/esquina/uma-noite-brasiliense

– suspense pra puxar o leitor > http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-103/esquina/dra.-kd-vc-

– impacto > https://brasil.elpais.com/brasil/2017/04/04/politica/1491332481_132999.html

– pergunta > http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/11/fotografo-lanca-livro-com-fotos-cliches-sobre-crise-na-europa.html

E DEPOIS?

Crie um mapa dos assuntos. Pode ser por capítulos, uma caixa com papeis, relato da história com palavras-chave, ou hashtags. O que fica e o que vai pro lixo? Começa aí o processo de edição. Quanto mais descartar, melhor. Decida o que é fundamental: informação nova, forte e contexto para que todos entendam.

COSTURE A HISTÓRIA

– Alterne dados, informação de pesquisa com descrições, relatos e frases. Informação dura (dados) e mole (histórias) devem conversar
– Um parágrafo deve “chamar” o outro, apresentando alguma informação que vai ser detalhada, “endurecida”, no seguinte.

FALAS E VOZES DOS ENTREVISTADOS

– Quando e quanto eles merecem? A escolha deve ser sempre por relevância
– Como entram? Por meio de travessão, aspas ou menção indireta (na boca do autor do texto)

Regra de ouro > simplicidade sempre: frases não muito longas, palavras simples e comuns

Como dados me representam?

Teoria

Buscar dados que expressem como você é / Como dados podem refletir uma singularidade? / Como você está representado?

Prática

Cada estudante traz os dois dados que colheram sobre si mesmos e vamos discutir no grupo como foi feita a colheita e o que esse dado diz/expressa sobre a pessoa. Se tiverem dados correlatos, vamos tentar fazer análises/comparações entre dados.
Faça brincadeiras comparativas dos dados com dados abertos (você percorre por semana uma ida de São Paulo a Campinas, etc).
O que essas percepções fizeram você perceber de diferente sobre você? Algo que você não tinha notado antes? O que isso significa?
Contexto e impacto: tem uma parte do dado que é sobre sentimento e ele está dentro de um contexto. O que isso significa em relação aos seus amigos e quais as possibilidades em termos de impacto pessoal?

Materiais necessários

Lousa, caneta, post it

Lição de casa

Poste nas redes sociais que palavra o outro associa a você e crie uma notícia sobre você a partir de seus dados