Compre o seu guia! Acesse nossa loja online e garanta seu exemplar do Prato Firmeza.
First slide

Puro miolo de acém, temperos secretos e ingredientes de primeira são responsáveis pelo sucesso do lanche

Texto e fotos por: Thaís Marques

  • Hamburgueria
  • Opção Vegetariana

O paulista Douglas Eduardo dos Santos sempre gostou de cozinhar. Sua mãe era cozinheira e ele aprendeu muito do que sabe em casa. Não por acaso, seu primeiro emprego foi em um restaurante: aos 21 anos, era auxiliar de cozinha e, seis meses depois, foi promovido a cozinheiro. Anos depois, por convite de um amigo, ele se tornou chef em um restaurante. Havia atingido o topo de sua carreira aos 24 anos.

Porém, uma das sócias do restaurante o demitiu sem justa causa, alegando não ser higiênico ele cozinhar sem ter os dedos da mão. “Isso me abalou muito”, diz Douglas, que nasceu com uma má-formação em uma das mãos. Terminava ali sua carreira na cozinha. Ele entrou na faculdade de recursos humanos e administração, e trabalhou na área por mais de seis anos.

O estresse das grandes empresas, no entanto, fez com que Douglas reconsiderasse sua profissão. Em 2016, resolveu que queria voltar a cozinhar. Investiu em um carrinho de “lanches gourmet” e foi para a frente do metrô Parada Inglesa vender hambúrgueres artesanais.

Enquanto trabalha no Hambúrguer do Chef, Douglas está sempre vestido com uma dólmã, roupa característica dos chefs de cozinha. É desta forma que ele gostaria de ser recebido. “Você pode sim comer com dignidade na rua”, diz.

Todos os dias, ele acorda cedo e prepara os ingredientes. Douglas se preocupa com a qualidade dos alimentos – desde o tomate, italiano e sem agrotóxicos, ao hambúrguer. Feito com miolo de acém – só a carne, sem artifícios como ovo e farinha –, a estrela do lanche leva quatro temperos secretos. Cada mordida é uma explosão de sabores.

Todos os dias são vendidos 90 hambúrgueres. O número só é limitado pela falta de espaço no carrinho. Há dias em que a espera chega a 50 minutos, mas o público não desiste. O chef quer investir para conseguir montar uma cozinha
industrial – hoje, no seu pequeno apartamento, a capacidade de produção é limitada. O espaço da venda, porém, vai continuar o mesmo. Seu objetivo continua sendo quebrar o tabu da comida de rua.

Preço Médio

R$20

Como Chegar

Descer na estação do metrô Parada Inglesa e ir em direção à rua Manoel Taveira.

Voltar

Tapiocaria Parada Inglesa

Ele se dedica à iguaria nordestina muito antes do modismo. E hoje faz uma das melhores - e mais recheadas - tapiocas da região

AlibaBar

Libanesa desenvolveu o cardápio e ensina receitas aos funcionários