Compre o seu guia! Acesse nossa loja online e garanta seu exemplar do Prato Firmeza.
First slide

O rei é o Reinilson, dono do restaurante que faz a melhor feijoada do campo limpo

Texto e fotos por: Kemilly Bittencourt

  • Prato feito
  • Delivery
  • Opção Vegetariana
  • Wi-Fi

Da janela da cozinha, que dá para o salão do restaurante, o cozinheiro Rodrigo Silva observa a primeira garfada que os clientes dão em sua feijoada. Ele gosta de ver a reação das pessoas ao provar a especialidade da casa. Quando
não observa pela janelinha, faz questão de ir às mesas para saber a opinião de quem comeu. O cuidado de Rodrigo com a satisfação dos clientes começa na escolha dos ingredientes. São sempre frescos – e nenhum tempero é industrializado. Alho, salsinha, coentro, três dias para marinar as carnes da feijoada, cebola flambada na cachaça e vinho para refogar. “Eu não cozinho por obrigação, o meu segredo é fazer tudo com amor!”, fala Rodrigo orgulhoso e com sorriso no rosto.

Rodrigo é irmão de Reinilson Silva, o Rei, que dá nome ao restaurante dos dois irmãos apaixonados por comida. Até se casar, Reinilson não sabia cozinhar. E quando morava na casa da mãe, recebia a comida já no prato. Começou a cozinhar para desestressar. Foi pegando gosto e construiu uma cozinha só para si na parte de trás da sua casa. Com bastante alho e cebola, o negócio começou em 2014, com a venda de marmitas. “Como conheço muita gente e sempre
quis trabalhar com pessoas, comecei logo a cozinhar para os outros e pensei: vou tirar proveito disso”, lembra sorrindo. As marmitas que fazia depois do trabalho de bancário eram entregues, aos finais de semana, no Horto do Ypê, um conjunto de condomínios no Campo Limpo. Depois de dois anos no negócio de delivery, o Rei fez uma proposta para alugar uma lanchonete ali perto do Horto, onde também mora. Conseguiu o ponto, fez uma baita reforma (de maio a setembro), conversou com o irmão e decidiram abrir o próprio negócio.

Hoje, o Comida Di Rei serve cerca de 60 refeições por dia. E são 190 marmitas por semana sendo 150 só de feijoada aos sábados. Elas seguem personalizadas com o nome de quem vai comer escrito na tampa. Rodrigo se dedica à cozinha durante a semana e, aos sábados e domingos, é a vez de Reinilson fazer o que tanto ama.

O cardápio é como o de qualquer restaurante paulistano, com feijoada às quartas e sábados. Mas a dedicação da dupla é o diferencial. “Criei aqui um lugarzinho aconchegante como se fosse a Vila Madalena. Mas quero mesmo é ter um Comida di Rei em toda a periferia da cidade”, afirma orgulhoso.

Preço Médio

R$30

Como Chegar

Metrô Campo Limpo: sair em direção à estrada do Campo Limpo (ladeira) e subir sentido Horto do Ypê até o Comida di Rei.

Terminal Campo Limpo: pegar o ônibus Terminal Santo Amaro ou Metrô Conceição e descer no ponto do metrô Campo Limpo, voltar para a estrada do Campo Limpo na mesma direção que o ônibus veio e subir a rua.

Voltar

Oh! Glória Artesanal Burguers

Começou com um investimento de R$ 500 em um espaço emprestado e mitou com hambúrguer caseiro e pão artesanal

Ceará Porções

Ceará trouxe o sabor do Nordeste quando se mudou para São Paulo. Hoje, sua comida é referência para os moradores do Jardim Santo Antônio