Atividade

BANCA

Fim de Módulo

Objetivo

Ter uma avaliação profissional do trabalho da turma (feedback profissional) Conhecerem o olhar profissional - os integrantes da banca tem que explicar seus processos de avaliação. Observação: não é para agradar a banca, é para fazer os jovens entenderem o que o mundo do jornalismo profissional espera deles.

Passo a passo

1

Uma banca

 

  1. Avaliador t√©cnico (nesse caso √© de dados, mas poderia ser algu√©m de audiovisual ou jornalismo gastron√īmico no caso dos dois outros m√≥dulos) – Spagnolo/Gil¬†
  2. Avaliador político Рalguém que avalie a transformação social proposta pela reportagem / como transformar o produto numa ferramenta social (Intervozes РJoão Brant) 
  3. Business (alguém que manja da comercialização do produto): Flores (UOL) 
  4. Jornalismo РEditor 
  5. Leitor (daqueles mais ass√≠duos – jovem da rede da √Čnois, um brother/mana)¬†
  6. Ativista 

 

Banca de pessoas relacionadas à pauta e ao futuro mercado dos jovens: 

> Reitor da Universidade Zumbi dos Palmares 

> Rede de Jornalistas das Periferias 

> Professores convidados ao longo do ano 

> Empreendedores das quebradas 

> Produtores culturais 

> Patrocinadores 

 

Materiais necess√°rios

 

Projetor

Caixa de som

A reportagem completa 

Ficha de avaliação (numa linguagem acessível a todes participantes da banca) 

 

Atividades

 

  1. Apresentação dos orientadores Рpor que estamos aqui? 
  2. Play da reportagem 
  3.  Apreciação da banca (cada avaliador tem máximo de 10 minutos para fazer seus comentários) 
  4. O s jovens s√≥ falam para responder as provoca√ß√Ķes/cr√≠ticas da bacana – a banca fala diretamente com os alunos. Eles tem que anotar enquanto os avaliadores tecem seus coment√°rios. Para depois de todas as falas, falarem
  5. Momento de respostas 
  6. Fechamento Tati e Vicente 

 

  1. Exemplos

 

Escola de Jornalismo 2017 

Avaliação Módulo 3 

 

Quest√Ķes para serem compartilhadas na banca:¬†

 

  1. A partir da sua visão técnica/pessoal/experiencial, como você avalia essa reportagem? 

 

  1. O que te surpreendeu e o que você acha que está faltando? Exemplifique. 

 

  1. Quais as oportunidades que você enxerga para essa reportagem? Por que? Como?   

 

  1. Dê uma nota de 0 a 10 pra essa reportagem. 

 

  1. O que essa turma de jovens precisa saber para seguir se desenvolvendo profissionalmente? Seja pragmático. Dicas concretas são muito bem vindas! 

 

* Cada integrante da banca ter√° 10 minutos para suas considera√ß√Ķes. Em seguida, os jovens ter√£o 30 minutos pra responder.¬†

 

Para avaliar a reportagem do √ļltimo m√≥dulo da Escola de Jornalismo, que teve como premissa ser uma reportagem em texto guiada por dados, pensamos em 7 aspectos que podem ser analisados por perfis diferentes de profissionais. De qualquer maneira, sabemos que ningu√©m cabe numa s√≥ caixinha e que as coisas podem se misturar na cabe√ßa e na fala de voc√™s. Mas pra gente foi importante organizar pra ter os diversos aspectos contemplados nesse encontro.¬†

 

Listamos abaixo algumas quest√Ķes para que cada um possa apreciar o produto de acordo com sua perspectiva:

 

> Olhar técnico РSérgio Spagnuolo (Volt) 

Alguém que olha para a qualidade dos dados levantados e analisados na reportagem. 

 

> Contexto político РPatrícia Cornils (coalizão por direitos na rede) 

A reportagem dá conta minimamente do contexto político em que foi produzida? E também das políticas que envolvem acesso e uso da internet no Brasil? 

 

> Business – Ana Freitas

A reportagem dá conta de fazer a audiência entender o mercado da internet no Brasil? E que tipo de repercussão, campanha desdobramento essa reportagem pode ter no mercado jornalístico e da comunicação? 

 

> Jornalismo – Daniel Tozzi (uoltab)

A reportagem segue os protocolos jornalísticos? Ela está bem apurada e redigida de maneira clara, consistente e envolvente? As fotos e a visualização de dados fazem sentido e contribuem para uma leitura mais robusta? 

 

> Jornalista Ativista – Pedro (alma preta)

Além do olhar jornalístico mais técnico, a reportagem traz diversidade de fontes? Ela traz refletida a diversidade de jovens que desenvolveram a reportagem? Consegue trazer a complexidade do tema da subconexão nas favelas do RJ e SP para leitores e leitoras diversos? 

 

> Leitora – Yuri Ferreira (turma 2016)

Como uma leitora, que sabe qual é o processo de formação na Escola de Jornalismo, e que não tem muita familiaridade com a pauta da reportagem, como foi ler o texto e explorar a visualização de dados? 

 

> Indicada da Galera – Natalia Neris (internetlab)

Aqui a gente quer uma visão geral de alguém que manja do tema e que foi a professora indicada pela turma para estar presente na banca. Que contribuiu ao longo do processo, inclusive, com reportagens sobre a pauta. 

 

A reportagem será publicada no dia 28/11 (dia da banca!), no Nexo. Resultado de uma parceria com o Nexo e com o DataLabe (laboratório de micronarrativas e dados do RJ), ela fala sobre o acesso e a falta de acesso à internet em periferias de SP e RJ e pretende revelar as barreiras para a conexão, os impactos de termos uma parcela da sociedade subconectada e as alternativas de acesso que se criam Рas gambiarras utilizadas para colocar essa galera no mapa de acesso, uso e construção da internet.

Compartilhe!

Voltar