Contexto

CHECAGEM DE SENTIDO

Checagem de sentido

O que é?

Checagem de sentido √© um momento durante a fase de produ√ß√£o do m√≥dulo em que o processo desde o come√ßo pode ser resgatado, observado e apropriado. Parte da experi√™ncia de que nesta fase muitos conte√ļdos e quest√Ķes relevantes surgidos na fase de investiga√ß√£o podem ser perdidos ou ficarem sem contorno. Pode durar um ou mais dias de aula a depender da avalia√ß√£o da equipe sobre o processo do grupo e o cronograma de entregas. O objetivo √© fazer emergir percep√ß√Ķes do grupo e de cada aluno sobre seu pr√≥prio percurso

Por que é importante?

Durante a fase de produ√ß√£o o grupo assume uma atitude bem diferente da fase de investiga√ß√£o. Os alunos passam a perceber a press√£o por entregas e na ansiedade das sa√≠das e prazos alguns conflitos podem aparecer. Al√©m disso na fase de investiga√ß√£o do tema v√°rias reflex√Ķes podem surgir e quest√Ķes sobre si mesmo podem cutucar. Esses movimentos correm o risco de um abandono se na fase de produ√ß√£o n√£o houver um espa√ßo para resgatar, organizar e integrar o universo interior e as demandas externas. Com isso, a checagem de sentido objetiva oferecer um espa√ßo de percep√ß√£o de si e do grupo em meio ao esfor√ßo de produ√ß√£o. A id√©ia √© que o processo seja integrado: assim como a primeira metade do m√≥dulo mesmo sendo aberto a reflex√Ķes j√° tem a experimenta√ß√£o t√©cnica, o processo de produ√ß√£o tamb√©m conta com a observa√ß√£o dos deslocamentos pessoais e grupais. Checar o sentido neste momento garante que o produto seja uma express√£o apropriada e aut√™ntica do grupo e de cada um, desconstruindo a ideia de um universo de percep√ß√Ķes, reflex√Ķes e teorias apartado de um universo de representa√ß√Ķes, decis√Ķes e pr√°ticas.

Como usar?

1

Para que as atividades de checagem de sentido sejam pertinentes é necessário que a equipe perceba o momento em que deve acontecer, durante o processo de produção. O momento ideal deve:
não comprometer o cronograma das entregas (para isso é necessário contabilizar a checagem de sentido no tempo de produção)
considerar o ‚Äúponto‚ÄĚ do grupo em rela√ß√£o a poss√≠veis conflitos a serem elaborados e os deslocamentos de cada um
englobar a experiência de trabalho em equipe tanto quanto o(s) sentido(s) que a investigação trouxe para cada um e grupo.

Para que conte√ļdos aut√™nticos sobre a experi√™ncia do percurso possam vir √† tona, conv√©m recorrer a outros tipos de express√£o al√©m da racional e verbal. Linguagens menos formais e conceituais, mais afetivas, visuais, simb√≥licas, c√™nicas, l√ļdicas e intuitivas podem baixar resist√™ncias e diminuir a chance de controle e manipula√ß√£o dos conte√ļdos. Assim, atividades que envolvam express√Ķes pl√°sticas e po√©ticas podem inclusive contribuir para abrir um espa√ßo de respiro, relaxamento, e reitera√ß√£o da autonomia. A id√©ia √© que o grupo e cada aluno possa ver o que emerge da sua percep√ß√£o do percurso at√© este ponto e organizar sua percep√ß√£o em representa√ß√Ķes coletivas, compartilhando-a e a regulando com as rela√ß√Ķes. √Č menos consultar o que cada um est√° pensando sobre si mesmo, o tema, o grupo e o percurso e mais criar um territ√≥rio de percep√ß√£o, reconhecimento e organiza√ß√£o.

Compartilhe!

Voltar